GERVANE DE PAULA

Postado em

 

Cuiabá, MT, 1961.
Vive e trabalha em Cuiabá, MT.

Indicada ao Prêmio PIPA 2018.

Site: gervanedepaula.blogspot.com.br

Gervane de Paula é brasileiro e nasceu em Cuiabá, capital do estado de Mato Grosso, localizado na região centro-oeste do país, precisamente no centro geodésico da América do Sul, onde reside e trabalha desde 1977. Integrou a “Geração 80”, movimento artístico brasileiro de grande relevância nas artes plásticas, e desde então vem participando de mostras individuais e coletivas em museus do Brasil e do exterior. Sua obra tem sua natureza na cultura de massa, popular e religiosa, e trata do realismo social falando sobre as várias formas de violência urbana, partindo do cenário local para retratar o mundo em que vive. Sua produção está situada entre a pintura, desenho, objeto e instalação, utilizando diversos suportes e materiais.

Vídeo produzido pela Do Rio Filmes exclusivamente para o Prêmio PIPA 2018:

 

Anúncios

CIDADE POSSÍVEL-ARAÉS

Postado em

No dia 21 de abril de 2018, o Coletivo à deriva por meio da disciplina Estéticas emergentes da cidade, do ECCO, fez uma ocupação sócio estética no Araés, próximo ao Boca de Arte.

A programação contou com mostra de cinema, performances, escutas afetivas, lambe lambe, fotografia de personalidades anônimas locais, oficinas de fotografia, brinquedos, bonecas africanas abayomi e dança, apresentações musicais, capoeira e intervenções de pintura, além de atividades relativas Economia Criativa e empreendedorismo no bairro.

CIDADE POSSIVEL: ARAES

Postado em Atualizado em

No dia 21 de abril, das 08 às 22 horas, no Bairro Araés acontece o projeto Cidade Possível, com o Coletivo à deriva e alunos do Programa de Pós-Graduação (Mestrado e Doutorado), em Estudos de Culturas Contemporânea (ECCO – UFMT) da disciplina de Atrações Temporárias e Estéticas Emergentes na Cidade, conduzida pela Professora Dra Maria Thereza Azevedo, líder do Grupo de Pesquisa: Artes Hibridas, intersecções, contaminações, transversalidades (UFMT).

A primeira versão do Cidade Possível ocorreu em 2016 com discussões sobre a cidade e o 100em1dia Cuiabá.  O projeto surgiu para discutir a cidade e as urgências do tempo presente. Cidade Possível surge no programa de Pós Graduação em Estudos de Cultura Contemporânea, ECCO da UFMT, a partir da urgente necessidade de se pensar a cidade, pauta fundamental do debate contemporâneo, que busca encontrar outros modos de viver de se relacionar e se organizar socialmente. Conforme Maria Thereza Azevedo “O projeto Cidade Possível compreende o espaço da cidade como o campo de construção da vida social enquanto um circuito de afetos. O espaço como possibilidade de mobilização de ideias, pessoas e experiências que podem criar conexões e redesenhar as condições de participação e apropriação. O espaço como agenciador de subjetividades para uma reinvenção da vida.”

A ocupação sócio-estética do Cidade Possível no Araés, com ações colaborativas, tem como proposta provocar mundos possíveis, novas sociabilidades, iniciativas, territórios existenciais outros, que promovam diálogos com a comunidade, numa parceria entre a universidade e instituições, empresas, sociedade civil e artistas. No bairro Araés temos como base  e parceiro o espaço cultural Boca de Arte.

No dia 21 de abril são várias as ações: mostra de cinema, performances, escutas afetivas, lambe lambe, fotografia de personalidades anônimas locais. Oficinas de: fotografia, brinquedos, bonecas africanas abayomi e dança. Apresentações musicais, dança, capoeira, banda musical. Intervenções de pintura e cênica. Além de atividades relativas Economia Criativa e  empreendedorismo no bairro.

 

 

A intervenção Cidade Possível – ARAÉS acontecerá no dia 21/04/2018, das 08hs às 22hs, no Bairro Araés, na Rua Alirio Hugney de Matos, logo no inicio do Córrego da Prainha, atrás da Decorliz até o espaço Boca de Arte. CIDADE POSSIVEL – ARAÉS!

 

Arte: Alessandro Flaviano

Fotos: Vinicius Apollari

Link de Inscrições para as Oficinas no Boca De Arte: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSc2tZN385wtbENu9KJZCkQ9Idb_i3pS1O7GAkMxIa-Z9CKs_A/viewform

Repertório brasileiro para violino solo será apresentado em Sinop

Postado em

 

A música brasileira tocada no violino será oferecida aos moradores de Sinop no próximo dia 23 de março, em um concerto que será realizado, às 20h,  no Centro de Eventos Dante de Oliveira. O Concerto faz parte do projeto A Arte do Violino – Repertório brasileiro para violino solo, comandado pelo professor Fernando Pereira. No repertório, três compositores brasileiros: de formação paraense, Marcos Salles, ao lado do mineiro Flausino Valle, foi responsável por uma literatura especificamente violinistica brasileira.

Buscando sonoridades típicas e descritivas, com sons em caráter de viola caipira e até mesmo de percussão ambos, embora de formação quase que totalmente autodidata, moldaram as sonoridades à realidade de um país, até então em construção, em sua cultura na música de concerto. Pedro Huff (1977), por outro lado, natural de Porto Alegre, professor pela Universidade Federal de Pernambuco, mesmo que violoncelista, possui em suas transcrições para o violino um interessante contorno nacional em seu caráter timbrístico, que também destaca uma combinação musical sugerindo uma interessante síntese de improviso e formas das danças populares que, neste projeto, serão apresentados no frevo e milonga.

O Projeto chega a Sinop através do edital Circula MT, da Secretaria de Estado de Cultura de MT e marca uma trajetória iniciada por Fernando Pereira à frente do projeto Boca Musical, em Cuiabá. Acompanham Fernando nesta trajetória, o grupo Camerata de Concerto, composto por alunos oriundos do projeto Boca Musical. A Circulação tem o apoio local de Dracma Móveis, Cia Sinfônica, Instituto Federal de Educação/Rondonópolis, Prefeitura de Rondonópolis, Escola de inglês Fisk, prefeitura de Sinop, deputado Dilmar Dal Bosco, prefeitura de Nova Mutum, Associação dos Músicos de MT e A Casa do Parque.

Oficina
Formação técnica ao violino, promovendo, assim, não apenas o acesso à música brasileira instrumental erudita, mas também os diálogos e práticas musicais em música erudita no Estado de Mato Grosso. Esse é o objetivo da oficina integrante do projeto A Arte do Violino, que será realizada em Rondonópolis no próximo dia 17 de março. Com 6h de duração e certificação, a oficina será conduzida pelo professor Fernando Pereira, de Cuiabá. Fernando é proponente do projeto que, também, leva à cidade um concerto solo de violinos. A oficina será gratuita e o público alvo são estudantes de música, professores,  jovens e adultos interessados em atualização musical. No conteúdo da oficina, estão orientações sobre a técnica elementar ao instrumento, desenvolvimento da mão direita, desenvolvimento da mão entre outros conhecimentos pertinentes ao instrumento.

As vagas destinadas na condição de ouvintes e alunos que queira experimentar a prática do violino. Para participar da oficina será necessário se inscrever através do link:   https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSc758c3pLhGRgyN58QRgLRYwIYo8oviON8okReFeX2HIaJ43w/viewform

Serviço:

O que: Projeto A Arte do Violino
Concerto: 23/03/2018 (chegar com pelo menos meia hora de antecedência)
Local: Centro de Eventos Dante de Oliveira
Horário: 20h

Oficina: 14/04/2018 (realizar inscrição pelo link disponível na matéria ou pelo site http://www.fernandopereira.com.br)

Casario de Rondonópolis recebe Concerto de Violino neste sábado

Postado em

Rondonópolis recebe neste sábado (13) o Concerto A arte do Violino – música brasileira para violino solo, coordenado pelo Professor Fernando Pereira. A apresentação acontece as 20h no Espaço Casario e tem entrada gratuita.

 

No repertório, o público poderá conhecer músicas dos compositores Marcos Salles (1885 – 1965), Flausino Valle (1894-1954) e Pedro Huff (1977). De formação paraense, Marcos Salles, ao lado do mineiro Flausino Valle, foi responsável por uma literatura especificamente violinistica brasileira. Buscando sonoridades típicas e descritivas, com sons em caráter de viola caipira e até mesmo de percussão, ambos, embora de formação quase que totalmente autodidata, moldaram as sonoridades à realidade de um país até então em construção em sua cultura na música de concerto. Pedro Huff (1977), por outro lado, natural de Porto Alegre, professor pela Universidade Federal de Pernambuco, mesmo que violoncelista, possui em suas transcrições para o violino um interessante contorno nacional em seu caráter timbrístico, que também destaca uma combinação musical sugerindo uma interessante síntese de improviso e formas das danças populares, que neste projeto serão apresentados no frevo e milonga.

 

A Circulação tem também o apoio local de Dracma Moveis, Cia Sinfônica, Instituto Federal de Educação/Rondonópolis, Escola de ingles Fisk, Prefeitura de Sinop, deputado Dilmar Dal Bosco, Prefeitura de Nova Mutum, Associação dos Músicos de MT e A casa do parque.

 

Sobre o nome do Projeto “A arte do violino”, o professor Fernando explica que seu nome remete à obra pedagógica em 4 volumes, do músico alemão Carl Flesh (1873-1944). E releva a significância de um programa de formação e difusão cultural em sua proposta pedagógica e artística que desenvolva o ensino e a performance não só ao violino, mas aos instrumentos de cordas inerentes à sua família – viola clássica e violoncelo – em Mato Grosso.

 

O Projeto chega á Rondonópolis através do Edital Circula MT, da Secretaria de Estado de Cultura de MT e marca uma trajetória iniciada por Fernando Pereira a frente do Projeto Boca Musical em Cuiabá. Acompanham Fernando nesta trajetória, o grupo Camerata de Concerto, composto por alunos oriundos do projeto Boca Musical. A Circulação tem também o apoio local de Dracma Moveis, Cia Sinfônica, Instituto Federal de Educação/Rondonópolis, Escola de ingles Fisk, Prefeitura de Sinop e de Rondonópolis, deputado Dilmar Dal Bosco, Prefeitura de Nova Mutum, Associação dos Músicos de MT e A casa do parque.

 

O concerto já foi realizado em Nova Mutum e Cuiabá, tendo ainda como trajeto, a cidade de Rondonópolis e Sinop. Também acontece junto ao Concerto uma oficina, que está sendo realizada no Instituto Federal de Mato Grosso, campus Rondonópolis.

 

Serviço:

 

O que: Projeto A Arte do Violino
Concerto: 17/03/2018 (chegar com pelo menos meia hora de antecedência)
Local:Espaço Casario
Horário:20h

Arte do Violino: Nova Mutum recebe oficina e Concerto gratuitos na próxima semana

Postado em

No dia 15 de março, às 20h, Nova Mutum recebe as atividades do Projeto  “A arte do violino – repertório brasileiro para violino solo”, através do  Edital Circula MT, da Secretaria de Estado de Cultura de MT. A iniciativa é do Professor e Coordenador do Projeto Boca Musical, Fernando Pereira, que fará no Concerto fará um solo de Violinos e também ministrará uma oficina totalmente gratuita.

No repertório do Concerto, estão músicas dos compositores Marcos Salles (1885 – 1965), Flausino Valle (1894-1954) e Pedro Huff (1977). De formação paraense, Marcos Salles, ao lado do mineiro Flausino Valle, foi responsável por uma literatura especificamente violinistica brasileira. Buscando sonoridades típicas e descritivas, com sons em caráter de viola caipira e até mesmo de percussão, ambos, embora de formação quase que totalmente autodidata, moldaram as sonoridades à realidade de um país até então em construção em sua cultura na música de concerto. Pedro Huff (1977), por outro lado, natural de Porto Alegre, professor pela Universidade Federal de Pernambuco, mesmo que violoncelista, possui em suas transcrições para o violino um interessante contorno nacional em seu caráter timbrístico, que também destaca uma combinação musical sugerindo uma interessante síntese de improviso e formas das danças populares, que neste projeto serão apresentados no frevo e milonga.

A Circulação tem também o apoio local de Dracma Moveis, Cia Sinfônica, Instituto Federal de Educação/Rondonópolis, Escola de ingles Fisk, Prefeitura de Sinop, deputado Dilmar Dal Bosco, Prefeitura de Nova Mutum, Associação dos Músicos de MT e A casa do parque.

Sobre o nome do Projeto “A arte do violino”, o professor Fernando explica que seu nome remete à obra pedagógica em 4 volumes, do músico alemão Carl Flesh (1873-1944). E releva a significância de um programa de formação e difusão cultural em sua proposta pedagógica e artística que desenvolva o ensino e a performance não só ao violino, mas aos instrumentos de cordas inerentes à sua família – viola clássica e violoncelo – em Mato Grosso.

Oficinas

As oficinas terão 6h de atividades e serão gratuitas e abertas a qualquer interessado. Serão vagas destinadas a ouvintes e alunos que queira experimentar a prática do violino. Para participar da oficina será necessário se inscrever através do link (com certificação):

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSc758c3pLhGRgyN58QRgLRYwIYo8oviON8okReFeX2HIaJ43w/viewform

Serviço:

O que: Projeto A Arte do Violino
Concerto: 15/03/2018 (chegar com pelo menos meia hora de antecedência)
Local: Escola de Música de Nova Mutum
Horário: 20h

Oficina: 15/03/2018 (realizar inscrição pelo link disponível na matéria ou pelo site www.fernandopereira.com.br) . Informações poderão ser obtidas pelo telefone: (65) 9996-2089

 

http://www.fernandopereira.com.br
Local: Escola de Música de Nova Mutum

Data: 08/03/2018 / Fonte: Assessoria

Como utilizar a música no currículo escolar será tema de oficina da Semana Pedagógica do IFMT/Rondonópolis

Postado em

Na próxima sexta-feira, 06 de abril das 14h as 18h, o professor Fernando Pereira ministra a oficina “Os estímulos à inteligência Musical nos desafios do Século XXI”, que terá a carga horária de 6h, dividida em duas partes. A atividade encerra o ciclo de oficinas do Projeto A arte do Violino, realizado através do Edital Circula MT da Secretaria de Estado de Cultura de Mato Grosso. A oficina acontece no Campus do IFMT/Rondonópolis.WhatsApp Image 2018-02-03 at 14.38.23

Segundo Fernando Pereira, a oficina já tem pelo menos cem participantes, entre professores, alunos e público externo, e irá abordar como as inteligências, competências e habilidades musicais ainda são pouco exploradas pelos educadores na criação de maneiras desafiadoras de exploração do conteúdo curricular. O professor, que atua com a formação de novos músicos no projeto Boca Musical sediado em Cuiabá, explica que, a presente formação, traz luz aos desafios da educação no século XXI, colocando a arte, em especial a música, como ferramenta de transformação e formadora de saberes e práticas. Durante a oficina os participantes poderão problematizar a definição dos desafios dos século XXI;  Competências, habilidades e as múltiplas inteligências;. A música e a comunicação acústica, além de participar de atividades que demonstram as propriedades do som dentro de obras da historia da música.

Durante todo o mês de março Fernando Pereira realizou Concertos e oficinas nas cidades de Nova Mutum, Cuiabá, Rondonópolis e Sinop. O Concerto contou com a participação do Camerata de Concerto, que tem em seu núcleo, alunos de Fernando Pereira. Já as oficinas, ministrada pelo Professor, reuniu aprendizes de música das cidades visitadas, o que expande e democratiza o acesso à formação em música clássica no estado. As atividades gratuitas, reuniram um grande público para ouvir o repertório de músicas brasileiras, que fizeram parte do Concerto.